Um ataque direto e poderoso às doenças

Aqui você pode discorrer sobre qualquer assunto que não se enquadra em alguma outra seção.
Cobra Grande
Administrador
Administrador
Mensagens: 4370
Registrado em: 28 Abr 2009, 01:19
Fale sobre voce: Big Snack
Localização: São Paulo - Embu Guaçu
Contato:

Um ataque direto e poderoso às doenças

Mensagempor Cobra Grande » 20 Set 2010, 00:30

Um ataque direto e poderoso às doenças - Parte 1


Surgem novas terapias criadas com recursos da nanotecnologia. Elas já curam câncer de pele e prometem maior eficácia contra a diabetes. É o comeco de uma nova era na medicina
Rachel Costa


Imagem


Imagem


Há uma revolução invísivel na medicina. As protagonistas dessa mudança são estruturas minúsculas, cerca de 90 mil vezes menores do que um fio de cabelo, conhecidas por nanopartículas. De tão pequenas, são visíveis apenas com a ajuda de microscópios ultrapotentes. Do mesmo modo que as famosas células-tronco, elas são responsáveis por avanços impressionantes nos tratamentos. Sem sombra de dúvida, pode-se afirmar que são um dos pilares de sustentação da medicina do século XXI. E o que é melhor: as pesquisas em nanobiotecnologia, como é chamado esse novo campo de estudo, se encontram em estágio avançado e começam a dar frutos. Um levantamento da agência internacional Thomson Reuters mostrou que, só no ano passado, foram requeridas no mundo mais de 300 patentes de produtos relacionados à saúde envolvendo nanotecnologia. O crescimento dessa área motivou o FDA, a agência reguladora de medicamentos dos Estados Unidos, a criar um grupo exclusivo para regulamentar os lançamentos que incorporam essa tecnologia.

A razão do sucesso das nanopartículas está nas potencialidades que surgem quando uma molécula maior é submetida a sucessivos processos para reduzir seu tamanho. Podem, por exemplo, se tornar mais resistentes ou adquirir a capacidade de conduzir eletricidade. São justamente qualidades como essas que têm sido exploradas por centros de pesquisa e pela indústria farmacêutica. O propósito é criar formas inéditas de levar medicamentos diretamente até as células doentes, além de testes diagnósticos mais sensíveis. Como mísseis teleguiados, programados para detonar apenas quando chegam ao alvo, as nanopartículas são capazes de direcionar os fármacos às regiões atingidas pelas enfermidades, amenizando a intensidade dos efeitos colaterais e o desperdício do medicamento no organismo – dois problemas comuns nas terapias convencionais. Essa precisão torna possível usar doses maiores da droga, reduzindo o tempo de tratamento. É uma revolução que já apresenta resultados concretos no tratamento de doenças como a hepatite C e o tipo de câncer de pele mais comum. Também está trazendo avanços promissores para enfermidades de grande alcance, como a diabetes e o acúmulo de placas de gordura nas veias.

Imagem

As versões nanoestruturadas de medicamentos convencionais têm se mostrado eficazes para a terapia de algumas doenças graves. Uma delas é a leishmaniose visceral, mal parasitário que destrói fígado e rins, entre outros danos, e pode ser fatal. Neste caso, a principal vantagem do remédio com nanopartículas é a redução do tempo de internação e dos efeitos colaterais. A droga (Ambisome) está disponível no Brasil, assim como a formulação nano do remédio para o tratamento do sarcoma de Kaposi (tumor maligno do sistema linfático que ocorre em pacientes com Aids), chamado Daunoxome. Há também medicamento nano para hepatice C (Pegasys) e anemia de origem renal (Mircera). “Quem usa os remédios nanoestruturados pode sair da quimioterapia e ir direto para o trabalho, sem sentir enjoos. Eles oferecem realmente menos efeitos colaterais”, diz Ana Luiza Toscano, supervisora da quimioterapia do Instituto de Infectologia Emílio Ribas, em São Paulo. No caso da hepatite C, a nano facilita a adesão ao tratamento. Enquanto o interferon normal deve ser aplicado a cada dois dias, o produto com nanotecnologia é ministrado uma vez por semana. O empresário Rubens Victor Santos, 55 anos, de São Paulo, usou as duas formas. “A terapia com o nanoestruturado é mais cômoda e as reações foram um pouco mais suaves”, diz.

Imagem

SEM CIRURGIA
O câncer de pele de Cid foi curado com uma pomada nanoestruturada e banhos de luz

Se depender do volume de pesquisas, em breve haverá uma nova safra de remédios nanotecnológicos. Uma das áreas mais beneficiadas será a oncológica. A equipe da pesquisadora Eva Marie Harth, que faz parte de um grupo que engloba cientistas das universidades americanas de Washington, Emory e Vanderbilt, trabalha no desenvolvimento de uma nanoesponja, estrutura de poliéster do tamanho aproximado de um vírus, que recebe em suas paredes algumas substâncias que se ligam apenas às células tumorais. Em testes com animais, foram obtidos resultados de três a cinco vezes mais eficazes do que os tratamentos tradicionais para o câncer. “Com as nanoestruturas, é possível administrar o fármaco apenas onde se encontra o tumor, poupando os demais órgãos e tecidos”, disse Eva Marie à ISTOÉ. De fato, um dos maiores problemas da quimioterapia é que os fármacos capazes de destruir as células tumorais são muito tóxicos para todo o conjunto celular, causando diversos efeitos colaterais.

Imagem

PRODUÇÃO

Remédio nano é fabricado em centro de alta tecnologia na Alemanha

Outras opções para determinar onde a droga irá agir são as terapias fotodinâmicas e o uso de ondas magnéticas. Na primeira, o medicamento só age quando exposto a um tipo de luz. Na segunda, um campo magnético é gerado na área a ser tratada, atraindo as nanopartículas para a região. Foi por meio do tratamento com luz que o engenheiro Agustin Gonzalez Cid, 67 anos, de Barueri (SP), se curou de um câncer de pele do tipo não melanoma, o mais comum dos tumores de pele. “Os médicos passaram um creme na região afetada e, depois de duas horas, aplicaram luz vermelha”, conta.

Imagem


Sucesso na cosmética

Foi a partir do uso em produtos cosméticos que a nanotecnologia ficou mais conhecida. O motivo para a sua vasta aplicação nesse segmento é a eterna batalha dos fabricantes para os produtos chegarem às camadas mais profundas da pele.

“A maioria dos princípios ativos dos cosméticos não atravessa a pele por causa da barreira protetora existente na sua camada superficial”, constata Bartira Bergmann, professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Na tentativa de vencer a proteção natural do organismo, a indústria da beleza introduziu em suas formulações as nanoesferas es lipossomas. “Elas são capazes de cruzar a primeira camada da pele e atingir a derme, em que são produzidos o colágeno e a elastina, substâncias que dão firmeza e sustentação. Isso melhora a ação dos produtos”, diz Bartira. Recentemente, a indústria nacional lançou filtros solares nano e estuda linhas anti-idade e acne.




Um ataque direto e poderoso às doenças - Parte 2

Surgem novas terapias criadas com recursos da nanotecnologia. Elas já curam câncer de pele e prometem maior eficácia contra a diabetes. É o comeco de uma nova era na medicina
Rachel Costa

A terapia ministrada em Cid foi criada no Brasil pela equipe do químico Antonio Claudio Tedesco, do Centro de Nanotecnologia, Terapia Fotodinâmica e Engenharia Tecidual da Universidade de São Paulo, campus de Ribeirão Preto. Entre as vantagens, o procedimento é mais rápido, mais barato e menos agressivo do que a cirurgia para a retirada do tumor, que é a solução convencional. Atualmente, esse tratamento já pode ser feito em ambulatórios de São Paulo e Brasília e, até o fim do ano, chegará a Belém (PA) e a Rio Branco (AC). O grupo agora está pesquisando formas de usar o mesmo procedimento contra tumores na bexiga, próstata e útero. O grupo de Ribeirão Preto também criou uma pomada com nanocompostos para eliminar cáries e infecções na gengiva. “Ela mata as bactérias da cárie sem a necessidade de usar o motor para desgastar o dente”, explica o químico Tedesco. Como o produto usado na terapia dos tumores de pele, a pomada anticáries só entra em ação depois de ser bombardeada com luz vermelha.

Doenças de grande alcance, como a arterosclerose (provoca entupimento dos vasos e artérias, causa de infartos e derrames) também poderão colher frutos da nanomedicina. No Hospital da Criança da Filadélfia, nos Estados Unidos, os pesquisadores criaram uma nova geração de stents, que são pequenas próteses metálicas usadas para manter veias e artérias abertas e, desse modo, impedir a obstrução do fluxo sanguíneo. No novo produto, é possível repor as doses do medicamento contido no seu interior, o que evita o acúmulo de placas no dispositivo. “Ainda estamos testando em animais, mas o procedimento tem se mostrado eficiente”, disse à ISTOÉ o cardiologista Robert Levy, um dos líderes do estudo. Já na Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, uma nanomolécula simulando as características do HDL, a fração boa do colesterol, promete varrer do interior das artérias as placas de gordura que podem causar obstruções.

Imagem

No Brasil, o laboratório Cristália está concluindo os estudos de uma anestesia de longa duração e de uma nanoestrutura para potencializar o efeito das vacinas. Há boas promessas também no tratamento de doenças cerebrais degenerativas, como Alzheimer e Parkinson. “A grande vantagem é que a associação de nanoestruturas aos remédios permite atravessar barreiras que os medicamentos atuais não vencem, chegando ao interior das células cerebrais”, diz Tedesco. No Canadá, o foco dos cientistas da Universidade de Calgary é a criação de uma vacina com nanopartículas contra a diabetes tipo 1. A doença surge quando o sistema imunológico começa a destruir por engano as células do pâncreas responsáveis pela produção de insulina. A vacina ajuda o organismo a produzir algumas partículas que atacam essas células que estão trabalhando de forma equivocada. “As nanoestruturas guiam a droga e garantem que ela fique mais tempo no organismo, sem se degradar”, disse à ISTOÉ Pere Santamaria, coordenador do estudo. A vacina foi testada com sucesso em ratos e a equipe espera usar o mesmo princípio para outras doenças autoimunes.

Até as fraturas de ossos poderão ser mais bem cuidadas graças às pesquisas em nanotecnologia. Na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), o professor Anderson Ferreira está empenhado em combinar nanotubos a doses de ácido hialurônico – substância muito usada por dermatologistas no rejuvenescimento da pele. Os nanotubos são estruturas minúsculas e super-resistentes, feitas de carbono, usadas para levar o ácido hialurônico até a região danificada dos ossos. Seu objetivo é promover a cicatrização e a regeneração óssea. E ele está no caminho certo. Testes realizados em animais deram ótimos resultados.

Imagem

Outra vertente importante para a medicina é a aplicação da nova tecnologia aos diagnósticos. Neste caso, o aumento de precisão trazido pelas nanomoléculas faz enorme diferença. Pesquisadores da Northwestern University, em Chicago, aprimoraram o teste para identificar tumores de próstata. Com a nanotecnologia, ele ficou 300 vezes mais sensível. O exame encontra no organismo indícios de uma proteína associada ao tumor. “Ele permite ver, prematuramente, se há chance de esse câncer voltar”, disse à ISTOÉ o urologista Shad Thaxton, um dos responsáveis pela pesquisa. Outros testes em desenvolvimento, para rastrear o câncer de próstata e de ovário, se utilizam de marcadores radiativos. “Quando as nanopartículas juntam-se às paredes das células doentes é possível ver as substâncias radioativas que carregam, por meio de aparelhos de detecção já existentes atualmente nos hospitais”, diz Mônica de Oliveira, da Rede Mineira de Pesquisas em Nanobiotecnologia.

Imagem

DIFERENÇA

Santos recebeu doses do interferon na versão nano contra a hepatite C: reações mais suaves

É no desenvolvimento de testes mais precisos que atua um dos mais renomados cientistas dessa área, Xiaohu Gao, da Universidade de Washington. Ele e sua equipe trabalham com a inovadora proposta de criar nanoestruturas com várias funções. Em seu laboratório, elas recebem um fio de ouro e são recheadas com óxido de ferro. “Essa combinação permite enxergar células cancerígenas que não seriam detectadas por nenhum outro teste conhecido”, disse Gao à ISTOÉ. No seu invento, o ouro aumenta o contraste e a precisão das imagens diagnósticas. Já o óxido de ferro, sob ação de um aparelho de ondas eletromagnéticas, faz as nanopartículas se agitarem. Como elas têm características que as faz grudar-se aos tumores, o especialista consegue ver lesões iniciais observando as células que se movimentam. Os testes de Gao estão sendo avaliados em animais.

A presença dos nanocomponentes também está deixando mais precisos equipamentos como microscópios e câmeras usadas em cirurgias. “Um dia chegaremos aos nanorrobôs”, prevê Marcos Pinotti Barbosa, coordenador do Laboratório de Bioengenharia da UFMG. “Implantados na corrente sanguínea, eles agirão como soldados inteligentes. Em uma missão destruirão um inimigo e, no dia seguinte, outro”, diz ele. Com a rápida evolução das pesquisas em escala nano, isso poderá se tornar realidade num futuro não muito distante.




IstoÈ PARTE1 E IstoÈ PARTE2



:twisted: :twisted: :twisted:
~~~COBRA GRANDE~~~

Imagem

ImagemHora/Temperatura em SP


Avatar do usuário
Xevious
Administrador
Administrador
Mensagens: 9614
Registrado em: 28 Abr 2009, 01:12
Fale sobre voce: Sou feito de atomos
Gender:
Brazil

Re: Um ataque direto e poderoso às doenças

Mensagempor Xevious » 20 Set 2010, 01:57

Cobra Grande escreveu:É o comeco de uma nova era na medicina

que legal
é isso aê, algo tinha que ter de bom com tanta tecnologia que ta surgindo

me lembro que minha mãe teve muitos problemas médicos
mas claro, se fosse a décadas atras, ela teria falecido talvez uns 10 anos antes

mas quando começou a aparecer os problemas mais sérios
fiquei muito preocupado e pesquisei muita coisa
cheguei a encontrar tratamentos novos e revolucionarios, para o problema dela,
em revistas médicas importadas

tentei convencer aos médicos a pelo menos dar uma pesquisada sobre as novas alternativas

mas ... sabe como é o égo era mais alto
"Quem é o profissional aqui sou eu, voce aguarde a medicação"

e o resultado é que ... bem ... não deu muito certo ... :sad:
Conheça o site Tele-Tudo e compre o que precisar, por tele-entrega

Avatar do usuário
Lancelot
Membro
Membro
Mensagens: 2678
Registrado em: 04 Mai 2009, 17:37
Fale sobre voce: Galáxia XRT 202 ZZ
Contato:
Portugal

Re: Um ataque direto e poderoso às doenças

Mensagempor Lancelot » 20 Set 2010, 10:55

Haverá remédio para a falta de dinheiro? :mrgreen:
"O mal de muita gente não é a falta de ideias, mas um excesso de confiança nas poucas que tem"

Imagem

Cobra Grande
Administrador
Administrador
Mensagens: 4370
Registrado em: 28 Abr 2009, 01:19
Fale sobre voce: Big Snack
Localização: São Paulo - Embu Guaçu
Contato:

Re: Um ataque direto e poderoso às doenças

Mensagempor Cobra Grande » 20 Set 2010, 14:05

Lancelot escreveu:Haverá remédio para a falta de dinheiro? :mrgreen:



Lance,

Acho que o unico remedio para esse mal é o trabalho, rsrsrs
~~~COBRA GRANDE~~~

Imagem

ImagemHora/Temperatura em SP

Avatar do usuário
Lancelot
Membro
Membro
Mensagens: 2678
Registrado em: 04 Mai 2009, 17:37
Fale sobre voce: Galáxia XRT 202 ZZ
Contato:
Portugal

Re: Um ataque direto e poderoso às doenças

Mensagempor Lancelot » 20 Set 2010, 18:35

Cobra Grande escreveu:
Lancelot escreveu:Haverá remédio para a falta de dinheiro? :mrgreen:
Lance,

Acho que o unico remedio para esse mal é o trabalho, rsrsrs


Pois que matem o trabalho :lol:
"O mal de muita gente não é a falta de ideias, mas um excesso de confiança nas poucas que tem"

Imagem


Avatar do usuário
Xevious
Administrador
Administrador
Mensagens: 9614
Registrado em: 28 Abr 2009, 01:12
Fale sobre voce: Sou feito de atomos
Gender:
Brazil

Re: Um ataque direto e poderoso às doenças

Mensagempor Xevious » 20 Set 2010, 19:09

Cobra Grande escreveu:Acho que o unico remedio para esse mal é o trabalho, rsrsrs

ontem mesmo tava falando com a D&Z
que to numa faze que to trabalhando bastante
e me sinto feliz assim

não que esse meu trabalho esteja me rendendo bastante dinheiro
mas pelo menos to sentido que 'to fazendo a minha parte'

a alguns tempos atras, perdi muita coisa aqui no meu PC
e fiquei por uns bons tempos sem condições de fazer nada
porque fiquei muito chateado com isso

mas agora to feliz, que peguei o pique denovo :smile:
Conheça o site Tele-Tudo e compre o que precisar, por tele-entrega


  • Tópicos Semelhantes
    Respostas
    Exibições
    Última mensagem

Voltar para “Conversa Livre”

Quem está online

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 1 visitante